7 dúvidas esclarecidas sobre carros inteligentes

Pensar em um automóvel que trafegue pela cidade sem motorista parece ideia de filme, não é mesmo? Mas não é! Os carros inteligentes, como estão sendo chamados, já vêm se tornando realidade. 

O Google, por exemplo, tem um carro autônomo que está passando por vários testes nos Estados Unidos. O modelo em questão não apresenta volante, freio, embreagem e, muito menos, motorista. 

A Ford, por sua vez, tem o ano de 2021 como meta para o lançamento de um veículo completamente autônomo. Hoje, muitos modelos da montadora já contam com recursos semiautônomos, que são capazes de detectar e evitar erros na condução. 

Podemos dizer que a ideia de carros inteligentes não é nova. O assunto vinha sendo discutido há um bom tempo, mas é polêmico e ainda gera muitas dúvidas. 

Interessou-se pelo tema? Então, continue a leitura deste artigo e veja 7 dúvidas esclarecidas sobre carros inteligentes.

1. O que são os carros inteligentes?

Carros inteligentes são automóveis capazes de se locomover sem a necessidade de intervenção humana. Em outras palavras, tais veículos dirigem sozinhos pela cidade, utilizando um sistema de comunicação eficiente para tanto. 

A comunicação entre veículos (v2v) é responsável pela prevenção de colisões, por meio da transmissão de informações entre motoristas sobre a velocidade e a mobilidade de carros. Além disso, a comunicação entre veículos e a infraestrutura (v2i) é responsável por prevenir avanços de sinal, congestionamentos e freadas repentinas.

É válido ressaltar que um dos principais objetivos dos carros inteligentes é aumentar a interação entre os veículos e as cidades, propiciando a transmissão de dados sobre as condições de tráfego e mobilidade, por exemplo. 

2. Como eles funcionam?

O funcionamento dos carros inteligentes se dá por meio da comunicação v2i e, é claro, a partir da internet. Por intermédio dos centros de gestão de tráfego, é possível ocorrer a transmissão dos dados das luzes dos semáforos para um determinado sistema, que os envia para os veículos em tempo real. 

Em contrapartida, os automóveis enviam informações sobre as condições do trânsito para a central, permitindo uma manipulação eficaz do tráfego naquele local. Essa transmissão é extremamente importante, sendo considerada a única maneira de gerir o trânsito sem a necessidade de intervenção humana. 

Propiciar a comunicação entre veículos também é imprescindível. Os carros poderão enviar alertas de problemas que estão fora do alcance dos sensores de um automóvel e, portanto, escapam da atuação dos sistemas. 

Saber a velocidade, a trajetória e a aceleração dos veículos, por exemplo, é fundamental para o controle total do trânsito. Já pensou nisso?

3. Como é realizado o controle de velocidade?

O controle de velocidade varia de acordo com o modelo. Entretanto, o processo é simples: o veículo adapta-se à velocidade do automóvel da frente, controlando sua aceleração e garantindo a distância de segurança

Os modelos mais modernos são capazes de frear os carros e somente permitir que eles voltem a se movimentar de acordo com o trânsito ao redor. Tal recurso previne acidentes e evita colisões. 

4. Os veículos conseguem detectar um pedestre?

Sim. Essa foi uma das primeiras preocupações que os desenvolvedores de carros inteligentes tiveram. Tais veículos são dotados de um sistema de alerta de colisão, com assistência de frenagem. 

Por meio de radares e câmeras, há o envio de um alerta sonoro e visual quando há uma possibilidade de colisão, seja com o veículo da frente, seja com uma pessoa. Ao receber a informação, os freios são pré-carregados, ficando prontos para serem acionados e conseguirem parar o veículo. Se o motorista não pisar no freio, o carro consegue realizar a frenagem.

O sistema de alerta de colisão é utilizado apenas para informar o motorista sobre a possibilidade de uma batida. Entretanto, alguns veículos contam com um sistema de travamento de colisão frontal, que serve para pará-lo completamente sempre que for identificado um objeto à frente.

5. Existe um piloto automático?

Sim. É possível contar com um sistema de piloto automático com a função “stop and go”. Esse recurso já está disponível em alguns modelos atuais, sendo responsável por trazer maior segurança e conforto aos motoristas, principalmente por conta do intenso trânsito das grandes cidades. 

Pode-se dizer que tal sistema é considerado uma evolução do piloto automático. Ele consegue manter a velocidade do automóvel e garantir uma distância segura em relação ao carro da frente. Além disso, se o veículo da frente parar, ele é capaz de frear completamente, voltando a acelerar quando o fluxo for retomado. 

6. E se eu dormir ao volante?

Seja em longas viagens, seja após um dia cansativo de trabalho, muitos motoristas sentem-se extremamente cansados ao volante, cochilando por alguns instantes. Quem já passou por esse tipo de situação sabe o quão perigoso é. 

Contudo, os carros inteligentes têm um sistema de alerta de fadiga, responsável por assumir o controle do automóvel quando há a presença de alguns sinais. O veículo monitora o comportamento do motorista, identificando momentos de distração ou um possível cochilo. 

As câmeras são responsáveis por avaliar o nível de atenção dos condutores e a movimentação dentro da faixa de rodagem. Se o veículo sair com frequência, o sistema interpretará que o motorista está fadigado ou com sono. Será emitido um aviso com a recomendação de uma parada para descanso. 

7. O que mais os carros inteligentes são capazes de fazer?

Existem, ainda, outras funções que os carros inteligentes conseguem realizar. O controle eletrônico de estabilidade, por exemplo, é responsável por recuperar o controle quando o motorista desvia rapidamente de um obstáculo, há aquaplanagem ou o veículo perde a tração. 

Já o sistema de permanência em faixa visa informar ao condutor, por meio de uma vibração no volante, quando há uma mudança na faixa de rodagem sem o acionamento da seta. Se não houver resposta, o sistema terá autonomia para corrigir a trajetória e manter o veículo na faixa. 

Há, também, o recurso de estacionamento automático, que identifica se o veículo cabe na vaga e realiza a manobra, exigindo que o motorista controle apenas os pedais. Já existem modelos 100% autônomos, que fazem toda a manobra. 

Como vimos, existem várias funções que fazem dos carros inteligentes os modelos mais completos. Independentemente dos recursos disponíveis, esse tipo de veículo estará presente nas ruas de todo o mundo em um futuro próximo, simplificando o nosso dia a dia. 

O que achou das dúvidas sobre carros inteligentes que destacamos? Quer ter acesso a outros conteúdos como este? Então, siga-nos no Flickr, no Twitter e no Facebook, inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique de olho em nossa TV para não perder nenhuma de nossas atualizações!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"