Carro novo ou usado: compare e escolha o melhor para você

Quando chega o momento de escolher seu novo carro, sempre surge aquela dúvida sobre o que mais pode compensar: escolher um carro novo ou usado? É melhor contar com a segurança do carro fabricado recentemente e sem uso, ou economizar boa parte de seu dinheiro e investir em um carro usado, permitindo menos perdas pela desvalorização?

Esse dilema tem seu valor, já que pode haver vantagens nas duas opções, dependendo, obviamente, do que mais agrada ao comprador quando ele pensa no seu próximo veículo. Inclusive, leva-se em consideração a sua possível paixão pelos carros!

Continue acompanhando este post para descobrir algumas vantagens e desvantagens nas oportunidades entre carros usados e novos.

Inovação e tecnologia

Sempre que um fabricante lança um novo carro no mercado, principalmente no caso de uma nova geração de um modelo já existente, certamente novidades e tecnologias mais recentes são adotadas, ainda que, no caso de uma nova geração, note-se poucas alterações estéticas.

Isso ocorre porque os fabricantes das peças e acessórios empregados nos veículos também procuram evoluir seus produtos, tanto por questões de segurança, como por durabilidade e acompanhamento tecnológico.

É fácil notar isso, observando, por exemplo, o sistema de som dos carros atuais. Há cerca de 10 anos era bastante incomum encontrar um veículo com uma central multimídia instalada de fábrica: no máximo, um leitor de DVD e dispositivos de armazenamento (pendrives, cartões de memória etc). Atualmente, se integra ao acessório a tela com smartphones, projeta-se câmeras, utiliza-se até mesmo navegação com internet.

Esse é um ponto que pesa para a escolha de um carro novo: inovação. E não é somente na tecnologia aparente, mas sim em questões como segurança, onde a engenharia da construção do veículo é focada em absorver corretamente impactos, proteções internas eficientes, bons sistemas de freio e de auxílio eletrônico e mais uma infinidade de recursos que, muitas vezes, ficam despercebidos até que entre em ação.

O ar-condicionado inteligente de duas ou mais zonas, os faróis utilizando lâmpadas de LED e as chaves presenciais são alguns dos itens bastante populares hoje, e que são, de certa forma, recentes. Prato cheio para quem gosta de incrementar sua comodidade e segurança, e acaba, por isso, optando sempre por carros novos.

Preço e desvalorização do carro novo ou usado

Optar pelo carro novo é certamente muito bom. Mas e o custo disso? Muitas vezes o preço de uma novidade é um pouco mais alto do que o comprador deseja e, até mesmo, pode pagar. Com isso, acaba escolhendo financiar o veículo, arcando com juros e longo tempo pagando seu parcelamento.

Com o valor do seu carro mais alto, vêm também os tributos obrigatórios anuais. O IPVA, baseado no valor atual do veículo, provavelmente será mais alto do que no caso de um carro usado. O seguro veicular também utiliza como referência o valor de tabela do veículo, sendo que quanto melhor equipado, mais caro deverá ficar, uma vez que o valor das peças empregadas e acessórios de fábrica são considerados.

Um outro ponto importante, falando sobre o valor, é a desvalorização. Conforme a idade do veículo avança, o valor do mesmo é reajustado perante o mercado, normalmente para baixo. Pode-se, por exemplo, perder de 15% a 20% do valor do veículo em um único ano, dependendo da aceitação do carro e seu fabricante pelo público. Dessa forma, no momento da venda do veículo, 2 ou 3 anos após sua compra, haverá uma perda considerável do valor pago.

Obviamente, no carro usado também há desvalorização, porém acaba sendo menor, acentuada, em alguns casos, quando o fabricante lança a nova versão de um carro já em nosso mercado.  

Considerando o fator preço e desvalorização, cabe ao comprador analisar a compensação em comprar um veículo zero, recém-saído da fábrica e com todas as boas vantagens de um carro novo, ou optar por um usado, já desvalorizado e com menor valor para consideração de impostos e o seguro veicular.

Beleza, tendência e visual moderno

A estética é algo muito importante para muitos dos compradores e algo de bastante peso na compra de um novo carro. E esse pode ser, inclusive, o seu caso.

É inegável que existem alguns veículos que, mesmo projetados e construídos há 2 ou 3 gerações, permanecem belos, com linhas agradáveis. O Honda Civic de oitava geração, por exemplo, é um belo exemplo disso, tendo seu visual externo servindo de referência até hoje. Mas são raros esses casos, que não apresentam tão claramente o peso da idade.

Como o mercado de carros nacionais procura acompanhar os mercados europeu, asiático e americano, somos constantemente bombardeados com novas e lindas novidades. A internet ajuda bastante para que isso aconteça, visto que é muito mais fácil hoje em dia saber, mesmo antes de ser lançado, como será um novo modelo no Japão ou na Alemanha. Com isso, temos à disposição importados e nacionais sempre com caras novas, buscando agradar o público brasileiro.

Outro ponto é a mudança que ocorre dentro do mercado, com relação ao tipo de veiculo. Atualmente, o veículo do tipo SUV está bastante valorizado se colocando entre os mais vendidos, e sendo muito desejado mesmo pelo motorista que não depende exatamente de um veículo grande ou que encare mais facilmente trilhas ou estradas não pavimentadas. Optar por um desse tipo acaba sendo uma tendência.

Para quem valoriza o status social e gosta de estar sempre atualizado, adotar um carro que está em alta, que explore bem as linhas de sua carroceria, possua belas rodas, interior bem construído e elegante é sempre muito importante. Ou seja, beleza, tendência e visual moderno são fatores de muito peso na escolha.

Optando pelo melhor carro

Mas e agora, comprar usado ou novo? Bem, a decisão final dependerá, sobretudo, do estilo do comprador. Compradores extremamente racionais, que gostam de um bom carro, mas estudam seu valor e não gostam de comprar algo que não tenha muita necessidade, podem optar por um carro usado, visto que o mesmo possui preço mais estável no mercado, tendo sofrido boa desvalorização.

Porém, deve-se considerar o peso da idade com relação ao desgaste, manutenção normal e redução de peças sobressalentes no mercado. No caso dos usados, procurar por carros bem cuidados, e com bom histórico, pode ajudar bastante para uma boa compra.

Para quem realmente costuma ter sentimentos pelo seu carro, gosta e admira novidades e avanço tecnológico, além de estar ligado em tudo de novo que está sendo lançado mundo afora, é inegável que o carro novo é o mais indicado, já que, mesmo com o valor final mais alto, uma escolha bem-feita será satisfação e prazer garantido por um bom tempo, principalmente considerando que o comprador estará protegido por uma garantia de fábrica.

Gostaria de se aprofundar um pouco mais no assunto sobre a consideração entre carro novo ou usado? Que tal um guia completo para te ajudar a acertar em cheio na escolha do seu próximo carro? Baixe o e-book e confira!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"