Como avaliar o desempenho geral do seu carro?

Você já se perguntou quais fatores influenciam o desempenho do carro? Já parou para prestar atenção no comportamento do seu veículo e que recursos você pode utilizar para garantir que ele esteja sempre funcionando perfeitamente?

Hoje em dia, há tanta tecnologia embarcada nos carros, que acabamos nos esquecendo de senti-lo enquanto dirigimos. Os diversos sensores e automações existentes nos informam sobre problemas que possam estar ocorrendo, ou que estejam prestes a acontecer. Mas será que você está tirando o máximo do seu carro?

Afinal, uma das características de um bom motorista é a capacidade de se conectar ao veículo enquanto dirige, avaliando seu comportamento e procurando extrair dele o máximo do desempenho.

Portanto, questões como consumo de combustível, a maciez ao rodar, a conservação e o aproveitamento dos pneus precisam estar na pauta de quem quer manter o seu automóvel sempre em dia.

Pensando nisso, listamos neste post algumas dicas para que você avalie o desempenho geral do seu carro e possa desfrutar de tudo o que ele tem para oferecer. Confira!

Consumo de combustível

O consumo de combustível é uma das principais preocupações dos proprietários de carros atualmente. O motivo é simples: tanto a gasolina quanto o etanol estão custando muito caro e, para quem usa o automóvel diariamente, a conta fica pesada.

Mas como você pode saber se o seu carro está gastando muito ou pouco? Para começar, é preciso descobrir como medir o consumo.

Ao encostar no posto para abastecer, zere o hodômetro parcial do carro. Em seguida, peça para o frentista encher o tanque e verifique, ao final, quantos litros foram despejados. Anote este número e guarde-o até o próximo abastecimento.

Quando chegar a hora de abastecer novamente, você deve verificar quantos quilômetros o carro rodou com aquele tanque. Aí é só dividir a quantidade de quilômetros rodados pela quantidade de litros utilizados para se chegar à média.

A média de consumo ideal

É muito difícil determinar o que seria um consumo aceitável, pois isso varia muito de acordo com a cidade em que você mora e o tipo de utilização que faz do carro. Nesse sentido, uma cidade com terreno irregular tende a fazer com que você gaste mais combustível, do que se morasse em um local mais plano.

Também há uma variação em relação ao tamanho do seu carro e o motor que ele utiliza. Motores maiores, com 2000 ou 1800 cilindradas, costumam consumir mais do que os carros 1.0 ou 1.4.

De qualquer forma, para a cidade, uma média que gire entre 8 e 12 Km/l é considerada aceitável. Na estrada, o consumo deve ficar entre 12 e 16 Km/l. Considere estes números para a gasolina, já que o etanol é um combustível que queima mais facilmente e, portanto, o seu consumo é cerca de 30% maior.

Alinhamento e balanceamento

A forma como o seu carro roda é muito influenciada pelo alinhamento e balanceamento das rodas. Como o asfalto brasileiro não é de grande qualidade, muitos carros sofrem com os buracos e por isso é preciso estar sempre atento ao comportamento do veículo.

O desalinhamento ocorre quando uma das rodas sai do seu eixo normal e trabalha de forma diferente das outras. Para saber se o carro está com este problema, procure rodar em um local vazio, de asfalto liso e sem curvas. Solte rapidamente o volante e veja se ele está puxando para um dos lados. Em caso positivo, o veículo está desalinhado.

Já para verificar se o balanceamento está em dia, acelere até atingir uma velocidade acima de 60 Km/h. Se sentir um excesso de vibração no volante, está na hora de providenciar o serviço.

O alinhamento e o balanceamento devem ser feitos, pelo menos, a cada 10 mil Km, ou quando você achar que é necessário. Sobretudo, tenha em mente que esses defeitos diminuem a vida útil dos pneus e ainda prejudicam a dirigibilidade do veículo, podendo causar acidentes graves.

Aproveitamento dos pneus

Como você viu no item anterior, o alinhamento e o balanceamento influem diretamente na vida útil dos pneus do seu carro. Nos dois casos, há um atrito maior entre a borracha e o asfalto, o que faz com que o material se desgaste mais rapidamente.

Os pneus são responsáveis por transformar toda a potência do veículo em velocidade e desempenho. Por isso, você deve ficar sempre muito atento ao funcionamento deles.

Em primeiro lugar, acompanhe de perto o desgaste. Para isso, utilize o TWI (Tread Wear Indicator), que é um dispositivo que ajuda a verificar a profundidade dos sulcos. Trata-se de pequenas borrachas de 1.6 m que ficam posicionadas entre as ranhuras. Se elas ficarem no mesmo nível, significa que os seus pneus estão acabando.

Adicionalmente, a calibragem é fundamental para que o pneu funcione bem. Portanto, calibre os pneus quinzenalmente usando a pressão recomendada pelo fabricante. Se você utilizar mais pressão do que o sugerido, os pneus se desgastarão mais no meio da banda de rodagem. Se calibrar com menos ar, as laterais da borracha ficarão mais gastas primeiro.  

Motor e suspensão

Sempre que você estiver rodando em seu carro, tire um momento para desligar o som e ouvir eventuais barulhos que ele esteja produzindo.

Socos e solavancos podem significar algum problema na suspensão. Verifique também o comportamento do veículo em curvas, avaliando se a estabilidade não está prejudicada. O carro deve ser firme ao contornar uma curva, principalmente em estradas.

No caso do motor, alguns barulhos podem ser provenientes de problemas em correias. Se você ouvir um som muito agudo assim que der a partida, pode ser que a correia que liga o ar-condicionado, o alternador e a bomba d’água esteja com problemas. Se ela se partir, você poderá ficar na mão.

Por fim, não se esqueça de ficar atento aos freios. Se o pedal estiver muito baixo, significa que é hora de trocar o fluido de freio. Por outro lado, se houver um chiado sempre que você acionar o equipamento, é sinal de que as pastilhas estão chegando ao fim.

Como você viu ao longo deste post, a atenção ao desempenho do carro é decisiva para que você consiga extrair todo o desempenho do seu veículo e ainda mantê-lo sempre em excelente estado de conservação.

Por isso, fique sempre atento aos sinais que ele emite e corra para a concessionária ao menor sinal de problema! Se quiser ler mais posts como este, curta a nossa página no Facebook! Também estamos no Twitter e Youtube

 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"