Por que é preciso entender tudo sobre suspensão de carro?

Quem é apaixonado por automóveis sabe que um veículo é composto por um conjunto de peças e acessórios fundamentais para seu bom funcionamento.

Uma dessas peças é a suspensão de carro, e conhecer seus componentes, como funcionam e sua composição é de grande importância na hora de identificar possíveis defeitos. Isso também ajuda muito a reconhecer quando seu carro precisa de manutenção— como quando surge algum ruído estranho.

Neste artigo, falaremos sobre esse recurso indispensável para o veículo e mostraremos por que é preciso entender como ele funciona. Quer saber mais? Então, continue a leitura!

O que é a suspensão de carro?

Em linhas gerais, é o sistema de amortecimento responsável por absorver os impactos causados por irregularidades no solo e manter as rodas do veículo sempre em contato com o chão. É por meio da suspensão que o automóvel adquire a estabilidade capaz de proporcionar ao condutor o controle da direção do carro e o conforto necessário enquanto ele dirige.

As suspensões podem ser de dois tipos: dependentes ou independentes. Vamos conhecê-las?

Suspensão dependente

Como o nome já sugere, nesse modelo, um lado da suspensão fica ligado ao outro pelo mesmo eixo (por isso, são dependentes). Logo, se apenas uma das rodas passar por algum trecho irregular, ela acionará o amortecimento das duas, forçando a carroceria a trabalhar e gerando uma inclinação em um determinado ângulo. Dependendo da situação, isso pode trazer instabilidade para o veículo.

A vantagem desse tipo de sistema — além do custo mais baixo — é que ele distribui o peso do carro de maneira mais uniforme, levando as montadoras a realizarem a instalação na parte de trás de alguns automóveis leves e médios.

Suspensão independente

Ao contrário da anterior, a suspensão independente trabalha com o intuito de proporcionar mais estabilidade ao veículo. Suas rodas não são interligadas, fazendo com que a carroceria se mantenha estável em caso de avaria na estrada. Por elevar bastante o desempenho, esse sistema é instalado na parte dianteira da grande maioria dos carros atuais (sejam eles leves, médios ou grandes).

Como ela funciona?

Independentemente do tipo de suspensão que o carro tenha, seu funcionamento mecânico ocorre, basicamente, de maneira que as rodas fiquem ligadas diretamente ao eixo ou por meio de um suporte conectado ao quadro do veículo. Isso permite que elas girem e, no caso das dianteiras, se movimentem para os lados. Nesses eixos ou suportes conectados às rodas, é instalada uma mola que vai da base até o corpo do carro, na parte superior.

Ao passar por alguma superfície irregular, essa mola é acionada, absorvendo os impactos mais pesados. Elas contam também com o auxílio de pistões hidráulicos instalados em seu interior ou no sistema de braços da suspensão, que ajudam a suavizar as pancadas.

Como é a composição das peças?

Como em outros sistemas do carro, a suspensão é composta por peças que trabalham em sincronia para possibilitar seu funcionamento. As principais são:

Amortecedor

Essencial na estrutura da suspensão, o amortecedor é a principal peça desse sistema. Seu objetivo é controlar os efeitos gerados na mola, balanceando a ação dos impactos e permitindo a estabilidade do veículo. Sem ele, seria praticamente impossível conduzir o automóvel.

Molas

Produzidas em aço e muito flexíveis, as molas têm basicamente a mesma função dos amortecedores, que é reduzir os impactos causados por avarias na superfície. Elas podem ser do tipo helicoidal ou feixe e instaladas na coluna de suspensão — ou em algum suporte específico, dependendo do modelo do carro.

Braço oscilante

Também conhecido como bandeja, ele é o responsável por ligar a coluna ao chassi do automóvel. Seu objetivo é servir de apoio durante os movimentos de subidas e descidas da coluna ao passar em algum trecho irregular. Essa ligação é feita por meio de buchas de borracha em uma das extremidades, permitindo a oscilação do braço sem gerar ruído.

Pivô de suspensão

Fixado na outra extremidade, ele é responsável por permitir que a coluna gire sobre si mesma, auxiliando na direção.

Barra estabilizadora

Responsável pela ligação entre as colunas de suspensão, a barra estabilizadora é presa à carroceria por meio de buchas e bieletas e tem como principal função fazer com que o veículo se mantenha estável na pista.

Como identificar quando a suspensão precisa de manutenção?

Devido à sua importância para o funcionamento do veículo, é fundamental que o condutor saiba identificar quando a suspensão precisa de manutenção. Além da recomendação das montadoras para trocas periódicas, é sempre pertinente o motorista conseguir se antecipar a possíveis defeitos e se manter resguardado diante de qualquer imprevisto.

Para troca agendada, a recomendação é que ela seja realizada a cada de 50 a 70 mil quilômetros rodados, dependendo do tipo de pista em que o carro roda diariamente. Por exemplo: se o veículo é mais utilizado em uma região com muitos buracos ou irregularidades, o ideal é que ela seja avaliada com mais frequência.

Seguir algumas medidas simples também pode contribuir — e muito — na hora de identificar possíveis problemas (e prevenir falhas ainda maiores). Entre elas, estão:

  • ficar atento a barulhos estranho e ruídos que não correspondam às características do automóvel;

  • observar se há diferença no impacto do veículo ao passar em alguma superfície irregular ou quebra-molas;

  • notar queda no desempenho e na estabilidade do carro durante a direção;

  • evitar conduzir por ruas com excesso de buracos ou irregularidades;

  • não trafegar com uma carga acima da permitida— especificada no manual do veículo;

  • realizar as manutenções preventivas regularmente em um profissional de sua confiança ou em uma autorizada indicada pela fabricante.

O que fazer em caso de problemas?

Se, mesmo tomando os cuidados acima, seu carro apresentar problemas na suspensão, não hesite em procurar uma oficina especializada para fazer o reparo ou a troca desse sistema.

Ignorar os indícios dados pelo carro referentes a esses componentes pode trazer um custo financeiro alto na hora manutenção, além do risco de provocar um grave acidente e colocar sua vida e de quem mais estiver no trânsito em perigo.

Como você pôde ver, é de extrema relevância ter um conhecimento básico sobre os componentes do seu veículo e, principalmente, sobre suspensão de carro. Saber identificar quando esse sistema precisa de reparos pode ajudar a prevenir futuras dores de cabeça, trazer alívio para o bolso e evitar transtornos graves.

Gostou do nosso artigo? Para ficar por dentro das nossas novidades e saber mais sobre o universo automobilístico, assine nossa newsletter!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"