Será que vale a pena optar pelo câmbio CVT? Descubra aqui!

Nas grandes metrópoles, o trânsito é cada vez mais pesado e, para lidar com essa realidade de milhões de pessoas, novas tecnologias surgem todos os dias. O sistema de transmissão dos carros está entre os pontos mais complexos e importantes.

Nesse cenário, entre os automáticos e automatizados, também temos os carros com câmbio CVT: uma opção intermediária que, até bem pouco tempo, era encontrada apenas em carros mais caros. Hoje em dia ganhou o gosto do consumidor, estando presente em veículos mais simples.

Para os adeptos ao câmbio CVT, ele apresenta uma série de benefícios, mas essa não é uma invenção recente, como algumas pessoas imaginam. Na realidade, ele surgiu lá nos anos 50 e vem sendo aprimorado ano a ano.

O câmbio CVT é tido por muitos condutores como o melhor tipo de transmissão para automóveis, especialmente os de passeio. Quer entender mais sobre esse produto? Acompanhe!

O que é o câmbio CVT?

A sigla CVT é uma referência ao termo em inglês Continuously Variable Transmission. Em uma tradução literal, o significado seria “transmissão continuamente variável”.

Basicamente, trata-se de um câmbio que opera em todas as rotações do motor, sem sequer apresentar os famosos engasgos na hora de trocar a marcha, sendo dispensável o conjunto de engrenagens permanentes — tanto as de encaixe manual quanto automático.

Como funciona o câmbio CVT?

Como vimos, o câmbio CVT dispensa a utilização de engrenagens fixas e limitadas. Com isso, as trocas de marcha são virtuais, conforme a velocidade em que o veículo se encontra — e não há limitação causada por uma restrição de giros no motor, as chamadas RPMs.

Apesar de parecer um pouco complicado, o câmbio CVT tem o desenho bem simples. Na realidade, ele conta apenas com duas polias de diâmetros diferentes. Uma correia metálica — de alta resistência — faz a ligação entre elas e é responsável por transmitir a força entre os componentes.

Isso permite que esse tipo de transmissão possa oferecer uma aceleração gradual, ininterrupta e previsível, fatores que contribuem positivamente para uma melhor condução.

Quais são as diferenças entre carro com câmbio CVT e câmbio manual?

O tipo de câmbio usado no seu carro faz uma grande diferença na durabilidade e na qualidade da sua direção, especialmente quando comparamos câmbios CVT com os tradicionais modelos manuais, tanto em sua estrutura quanto na forma como são usados.

A diferença mais óbvia, claro, é que os câmbios manuais exigem atenção constante do motorista, que deve acompanhar a velocidade do veículo e passar a marcha no momento certo. Já nos câmbios do tipo CVT isso não é uma preocupação.

Também é necessário ficar atento aos procedimentos de manutenção, pois eles também são um pouco diferenciados. Sempre informe ao seu mecânico sobre o tipo de câmbio utilizado, para que o trabalho dele seja facilitado.

Em geral, é bem difícil fazer a conversão entre tipos de câmbio diferentes, então o veículo já deve sair de fábrica com um modelo CVT ou manual. Sendo assim, a escolha inicial do veículo é bem importante.

Quais são as diferenças entre câmbio CVT automático e automatizado?

Vimos que o câmbio CVT é um tipo de transmissor que não tem marchas, e sim polias com tamanhos distintos. Com isso, ele permite ao condutor acelerar o veículo como se estivesse fazendo uso de apenas uma marcha.

É claro que há diferenças significativas entre os três modelos disponíveis no mercado. Confira algumas das principais características para entender melhor em quais aspectos se diferenciam.

Câmbio automático

Esse é o modelo mais popular, até porque é usado há décadas. O funcionamento ocorre na pressão do óleo para que haja a troca de marchas, sendo que no conjunto funcional, ainda, há o conversor de torque e alguns pequenos componentes de embreagem responsáveis pelas mudanças de velocidade.

Câmbio automatizado

O nome já é muito sugestivo. Trata-se de uma transmissão que originalmente não tinha nada de automático, mas passou por uma adaptação para ser. O câmbio automatizado surgiu como uma alternativa mais barata para a opção automática.

O que temos é um tipo de câmbio manual com uma peça integrada — o atuador hidráulico. É essa a peça responsável pela troca das marchas. Basicamente, ela substitui a função exercida pela perna do condutor no pedal de embreagem e de sua mão na alavanca.

Quais são as vantagens do câmbio CVT?

Claro que ninguém recomenda o uso desse tipo de câmbio sem bons motivos. Há vários benefícios que você obtém ao usar um veículo com o CVT. Veja, a seguir, algumas das principais vantagens oferecidas.

Baixo consumo de combustível

O custo do combustível é um fator importante na escolha de um veículo. Se você tiver de pagar muito dinheiro todo mês apenas para abastecer, a relação entre custo e benefício para o motorista fica bem desequilibrada. Por isso, há tanta ênfase em equipamentos, peças e formas de dirigir que minimizem esse consumo.

Quando comparamos o tipo de câmbio CVT com as demais opções, a primeira vantagem observada é a economia de combustível. Isso é possível porque quase toda a força do motor gira em torno das correntes e polias, enquanto no sistema automático, para trabalhar de forma indireta a potência do motor em relação às rodas, temos a utilização do óleo.

Aumento da durabilidade

Outra vantagem é o tempo de desgaste que, no câmbio CVT, é muito mais lento quando comparado com os manuais, pois o sistema atua por conta própria na transmissão das marchas. Como não há risco de o motorista pisar de forma incorreta na embreagem nem forçar a alavanca da marcha no momento errado, o desgaste tende a ser bem menor.

Além disso, a precisão desse sistema é melhor e não depende da condição do condutor para que se tenha um bom desempenho. Isso é ótimo para quem dirige por muitas horas seguidas e precisa manter a melhor condução do veículo, mesmo quando está ficando cansado.

Mais conforto para dirigir

Quem pilota com câmbio manual tem de criar o hábito de mudar as marchas à medida que o carro acelera ou desacelera, enquanto aquele com o câmbio automatizado sempre sente os “engasgos” quando uma nova marcha é engatada. Sem falar nos ruídos que eles produzem, deixando a viagem bem mais desconfortável.

Se você dirige com frequência todos os dias, então vale a pena buscar algo que torne seu dia a dia um pouco mais confortável. E o câmbio CVT é uma ótima solução para isso. Com ele, a troca de marchas se torna bem mais suave, pois não há a necessidade de encaixar e reencaixar as engrenagens. Isso evita os trancos enquanto você acelera e desacelera.

Quais são os modelos de veículos com sistema CVT?

Agora que conhecemos os principais aspectos envolvendo o câmbio CVT, separamos opções em modelos de carros com esse sistema. Confira!

Honda HR-V

Um dos modelos mais populares da companhia japonesa traz um câmbio CVT com um diferencial: ele conta com uma simulação de 7 marchas. O HR-V consegue entregar 139 cavalos de potência. Além disso, o carro traz tecnologia de ponta e um excelente sistema de segurança.

Nissan Kicks

O Kicks é um dos carros mais icônicos da Nissan. Ele também conta com um câmbio CVT e uma motorização com 114 cavalos.

Fluence

Esse sedã da Renault oferece motorização com 143 cavalos. O câmbio CVT traz um modo que inclui uma simulação de troca manual.

É difícil fazer a manutenção desse câmbio?

Apesar de ter um funcionamento mecânico mais simples, isso não significa que é mais fácil manter o funcionamento correto dessa peça. Há muitas partes eletrônicas que regulam sua atividade, sendo necessário que o mecânico em questão tenha um pouco mais de especialização na área antes de poder dar conta do serviço com a qualidade esperada.

Sendo assim, você provavelmente terá de buscar um profissional melhor preparado para essa tarefa ou fazer sua manutenção apenas com as autorizadas da marca do veículo. Isso pode apresentar um custo um pouco mais elevado, mas considerando que o desgaste é menor, tende a compensar o preço extra do serviço.

Como é feita a manutenção no carro com câmbio CVT?

O processo de manutenção de um câmbio CVT pode variar de acordo com seu tipo específico, se é automático ou automatizado. O primeiro possui uma estrutura própria dentro da caixa, em que existem algumas ferramentas e peças voltadas para sua manutenção. Já o modelo automatizado integra tanto a estrutura do câmbio manual quanto a porção automatizada, o que pode tornar a manutenção um pouco mais complexa.

Outro fator importante que você deve informar ao seu mecânico é com relação ao número de marchas. O modelo mais barato, de 4 marchas, é também o menos eficiente, então tende a apresentar problemas com mais frequência. O de 8 marchas, aplicado apenas em carros de luxo, tem a melhor performance, mas também apresenta a manutenção mais difícil. Para veículos comuns, você deve encontrar algo de 5 a 7 marchas.

Qual é a frequência adequada da manutenção?

Como já mencionamos algumas vezes, o desgaste do câmbio CVT costuma ser menor do que o de outros modelos manuais e automatizados, pois a troca de marcha é mais suave e não exige a intervenção do motorista.

Dessa forma, não há danos extras causados por mau uso dos pedais ou por engatar a marcha na hora errada. Pode parecer que isso não faz tanta diferença assim, mas logo você vai notar como diminui um pouco a frequência das verificações.

No geral, o câmbio de qualquer veículo deve ser verificado pelo menos a cada 100 mil quilômetros circulados, podendo chegar até a 150 mil quilômetros, que é a durabilidade padrão para esse tipo de sistema. Se você fizer alguma manutenção e dirigir com o devido cuidado, certamente consegue fazer o câmbio durar até o limite máximo.

Vale a pena ter um câmbio CVT?

Sabemos que tudo depende de uma questão de gosto, mas alguns aspectos devem ser analisados logicamente. O câmbio CVT é um deles. As montadoras já têm uma gama de consumidores fiéis desse sistema e ela cresce a cada ano. Isso faz com que ele seja cada vez mais visado e se torne foco de investimentos.

Além das vantagens destacadas anteriormente, o câmbio CVT é uma ótima opção para quem quer carros familiares, pois oferece velocidade estável, menos gastos, mais conforto e mais calma dentro da cabine. Então, se esse é o seu caso, esse sistema pode valer muito a pena!

Como escolher o melhor carro com câmbio CVT?

Diante de todos esses dados, fica claro como esse tipo de câmbio pode ser vantajoso para você. Porém, ainda resta a questão: como escolher o seu carro? É verdade que há outros fatores a serem considerados, mas vamos falar primeiro dos pontos relativos ao câmbio CVT. Acompanhe!

1. Relação entre custo e benefício

Normalmente, o investimento inicial para conseguir um carro desse tipo é mais alto que a média, porém é compensado ao longo do tempo. Você ainda precisa levar em conta o quanto você espera receber de volta depois desse pagamento inicial.

Se o preço do veículo for muito elevado, pode ser que o câmbio já não valha mais tanto a pena. A menos que o carro tenha outras vantagens que compensem o preço, o ideal é tentar negociar ou procurar uma opção mais rentável.

2. Qualidade e durabilidade dos componentes

Antes de fazer a compra, verifique a procedência das peças usadas, especialmente a marca do fabricante. Esse tipo de informação mostra se o câmbio CVT atende aos padrões de qualidade e durabilidade esperados. Sem essa verificação, pode ser que você precise fazer alguma manutenção mais profunda em poucos meses.

3. Acesso à manutenção

Por fim, veja se o sistema é de fácil manutenção ou não. Muitos câmbios possuem peças difíceis de encontrar ou exigem muita especialização profissional. Se esse for um fator limitante para você, o ideal é escolher uma marca com mais opções de manutenção.

Contudo, vale lembrar que, antes de escolher um carro novo, a dica é sempre pesquisar muito. Afinal, cada motorista tem um estilo de condução, um perfil, uma necessidade e quer o veículo para uma ou mais finalidades. Tudo deve ser considerado, até porque estamos falando sobre um bem de investimento alto!

Então, gostou de conhecer um pouco mais sobre os carros com câmbio CVT, suas vantagens e funcionamento? Se quiser saber mais sobre a Honda HPoint, nossas lojas e carros com o câmbio CVT, acesse nosso site e tire todas as suas dúvidas.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"