Veja como saber se a quilometragem de um seminovo foi adulterada

O sonho de comprar um carro pode se transformar em um pesadelo para muitos consumidores. Entre os maiores temores está o odômetro com a quilometragem adulterada, que encabeça a lista. Apesar de as montadoras terem desenvolvido tecnologias para dificultar essa prática — como a substituição dos painéis analógicos pelos digitais — outras tantas foram desenvolvidas para continuar a trapaça.

Sendo assim, a fim de impedir que você caia nesse golpe na hora de comprar um veículo seminovo, listamos alguns cuidados muito importantes que devem ser tomados. Confira, então, o que fazer para não passar por tal situação. Acompanhe!

Verifique as revisões

Ao comprar um veículo seminovo, peça sempre o manual do proprietário. É lá que você vai encontrar os dados importantes acerca do veículo, como a concessionária na qual ele foi comprado, datas das manutenções de garantia etc.

É essencial prestar atenção na anotação da última revisão, na qual consta a quilometragem e a data — dessa forma, é possível saber se o que revela o odômetro é compatível com o tempo de vida do veículo.

Apesar de, muitas vezes, alguns proprietários afirmarem que não têm mais o documento, vale a pena sempre requisitar o manual e verificar essas anotações tão relevantes. Por isso, evite veículos sem esses históricos, visto que podem estar sendo omitidos por “má fé”, a fim de esconder adulterações.

Observe os números do odômetro

No caso de odômetros analógicos, você deve verificar também o alinhamento dos números. Eles não devem estar tortos, conter lacunas e balançar quando você bater levemente com a mão.

Caso o odômetro apresente alguma dessas características, é possível que tenha sido adulterado.

Avalie os desgastes

Ao avaliar o estado do automóvel, é possível descobrir o seu tempo de uso.

Desgaste das peças internas

Comece observando os pedais, que são itens que demonstram muito uso do veículo. A seguir avalie o estado da manopla de câmbio e do volante do carro. Tais peças apresentam desgaste a partir de 80 mil km rodados. Os bancos são itens que também apontam excesso de uso, no material e na densidade da espuma.

Desgaste das peças externas

Verifique o estado dos amortecedores e discos de freio — visto que, dependendo do tipo de uso e do carro, têm uma vida útil de cerca de 40 a 60 mil km. A embreagem é também um componente a ser avaliado, observe se está apresentando barulhos, se o pedal está muito alto, se está patinando ou muito pesada.

Analise os pneus do carro

Os pneus do carro podem ser reveladores quando se quer saber se o odômetro diz a verdade sobre a quilometragem do veículo. Verifique as bordas dos pneus para saber se a data de fabricação condiz com a do automóvel, bem como se todos esses itens são iguais.

Um carro seminovo já ter seus pneus trocados, com menos de 30 mil km rodados, gera uma certa desconfiança. No entanto, existem exceções, que são em casos de carros esportivos, que desgastam mais esses itens, ou se o proprietário efetuou a troca das rodas por outras maiores — aí sim deverá trocar também todos os pneus.

Fique atento, pois pneus carecas significam uma quilometragem acima dos 40 mil km. No caso deles ainda serem novos, isso quer dizer que o veículo deve ter, no mínimo, 10 mil km.

Solicite um laudo especializado

Para casos de não haver experiência com carro, o melhor a ser feito é pedir a ajuda de um mecânico de confiança ou solicitar um laudo especializado.

Algumas concessionárias solicitam esse documento quando aceitam automóveis usados como parte do pagamento. Isso porque o laudo é uma forma de proteção contra o recebimento de veículos com odômetro adulterado. Por isso, na hora de comprar seu seminovo, verifique se a loja se protege adotando essa perícia.

Gostou das dicas para descobrir se o odômetro teve a quilometragem adulterada? Quer receber mais conteúdos interessantes? Assine a nossa newsletter!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"