O que significa amaciar o motor de veículo recém-comprado? Descubra!

6 minutos para ler

Certamente, você já ouviu falar da necessidade de amaciar o motor de um carro recém-comprado, não é mesmo? Antigamente, para evitar qualquer dano interno, as próprias montadoras recomendavam não abusar da aceleração durante os primeiros cinco mil quilômetros rodados.

Atualmente, apesar de ser importante para aumentar a vida útil do motor e atingir um bom desempenho, muitos veículos reduziram a quilometragem necessária para o amaciamento do motor, devido à tecnologia avançada dos motores. Porém, a prática ainda é importante e necessária, inclusive, na maioria dos manuais do proprietário do veículo, pede-se para obedecer ao período de “acomodação” das peças.

Para que você saiba mais sobre o assunto, explicaremos neste artigo, o que significa amaciar motor de um automóvel e como funciona essa prática. Continue a leitura e confira!

O que é o amaciamento de motor do veículo?

O termo amaciamento do motor refere-se basicamente ao período de quilometragem inicial em que o carro recém-comprado precisa para que as peças se ajustem umas às outras adequadamente, para assim atingir o seu funcionamento pleno. Porém, isso exige dos motoristas vários cuidados com relação à aceleração, por exemplo. A quilometragem, na maioria dos casos, pode variar entre 500 a 5 mil quilômetros, mudando de acordo com o fabricante, a aplicação e o modelo.

Todos os cuidados do dono do veículo durante essa fase de ajuste dos componentes de motor, suspensão e carroceria são responsáveis por determinar se o modelo atingirá os padrões especificados pelo fabricante.

Em geral, o seu principal objetivo é garantir o perfeito funcionamento dos sistemas e aumentar a vida útil do motor. De certa forma, isso colabora para uma melhor eficiência energética, consequentemente economiza combustível e polui menos o ar.

Quando é necessário realizá-lo?

Como dito, apesar da evolução da tecnologia, os motores atuais de combustão interna ainda levam em consideração o período de “amaciamento” e, provavelmente, isso não mudará por um bom tempo. Nesse caso, o ideal é que todo veículo zero-quilômetro passe pelo período de amaciamento, conforme a recomendação do fabricante. Nesse caso, o motorista precisa de certos cuidados básicos, como não pisar fundo no acelerador. Isto é, não exigir muita potência durante os primeiros 500 a 1.000 km.

Embora o descumprimento da prática não provoque colapso na estrutura, as características e a durabilidade do carro podem ser comprometidas. Em razão disso, é importante respeitar a orientação, mesmo que a rigidez dos ciclos de amaciamento dos propulsores modernos seja menor, a fim de adquirir todas as vantagens que ele pode oferecer.

Como o amaciamento do motor funciona?

Na prática, funciona mais ou menos assim, em um veículo novo a superfície de elementos metálicos internos do motor é rugosa. Isto é, apresenta alterações no relevo que não são as normais. Isso acontece com todo trem de força, incluindo engrenagens, eixos e mancais, que necessitam de quilometragem para alcançarem esse assento natural.

Já que as peças de um motor novo estão mais ajustadas, os atritos são maiores nos quilômetros iniciais, por isso é recomendado não atingir velocidades muito altas nesse período inicial.

A seguir, listamos alguns aspectos que devem ser levados em conta no período de amaciamento do veículo. Confira!

Não acelere de forma brusca

O hábito de acelerar o veículo de forma brusca logo após a partida afeta o motor, sobretudo por causa da falta de lubrificação no período de poucos minutos, em que o atrito entre as peças móveis aumenta. Nesse caso, o correto é não acelerar bruscamente antes de o motor atingir a temperatura ideal, mantendo o propulsor funcionando alguns minutos em marcha lenta.

Não use o acelerador até o fundo

O excesso de força sobre o pistão no automóvel novo pode causar desgaste irregular, aquecimento nos componentes internos do propulsor, carência na lubrificação e entre outros problemas. Desse modo, pisar no acelerador até o fundo é o motivo que mais gera carga no motor. Ao fazer isso, o motorista indica que precisa de mais potência e torque, exigindo do conjunto o máximo esforço, exigido somente depois do período de amaciamento.

Evite frenagens bruscas

As freadas bruscas também devem ser evitadas, pois além de consumir muito combustível, os componentes do freio sofrem desgastes com o aquecimento, fazendo com que as pastilhas, discos e tambores sejam danificados além do normal. Outro aspecto importante é a falta da aderência adequada dos pneus, pois pode prejudicar não só as frenagens, como também a estabilidade, consequentemente deixa o automóvel mais exposto a derrapagens. 

Troque as marchas suavemente

O hábito de trocar a marcha errado faz com que o sistema de câmbio trabalhe muito mais e desgaste a embreagem. Assim, as peças que mais são afetadas com a prática dos motoristas são o disco e o platô de embreagem. 

Normalmente, nos primeiros 500 km, deve-se evitar subidas de giro, acelerações acima da rotação máxima indicada pelo fabricante e troca de marchas bruscas, pois, além de as peças precisarem de certa acomodação, os sistemas de injeção passam a conhecer a forma de dirigir.

Não deixe o carro pesado

Quando o veículo é submetido a pesos grandes, exige do conjunto mecânico maior trabalho, e consequentemente, gera o aumento da carga de funcionamento do motor. Portanto, usar o veículo novo para transporte de cargas altas requer muita aceleração e força motriz, em proporções maiores do que a recomendada, em um momento onde a potência do motor ainda não se manifestou.

Faça as trocas de óleo corretamente

Por último, e não menos importante, é recomendado que a troca do óleo do motor seja realizada antes dos primeiros mil quilômetros rodados, pois a quantidade de resíduos no óleo do motor novo é maior.

Por fim, cada montadora tem as suas indicações conforme o seu projeto de motorização. Nos veículos da Honda, por exemplo, recomenda-se, de modo geral, não acelerar bruscamente nos primeiros 1.000 km rodados e evitar frenagens bruscas até os 300 km. Essa orientação garante a melhor performance e durabilidade tanto das peças quanto do veículo como um todo.

Agora que você já sabe como amaciar o motor de um veículo recém-comprado, aproveite para conhecer quais são os carros da Honda com motor turbo e seus diferenciais. Leia agora mesmo o nosso artigo e fique por dentro do assunto!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Share This