Cannot GET /api/stage
'; rockAnalyticsScript_V2.setAttributeNode(website); var host = document.createAttribute('data-host-url'); host.value = 'https://apidev.analytics.rockcontent.com'; rockAnalyticsScript_V2.setAttributeNode(host); document.body.appendChild(rockAnalyticsScript_V2); } });

Etanol ou gasolina: entenda quando usar cada um deles

6 minutos para ler

Com o constante avanço da tecnologia no setor automotivo, já faz algum tempo que os motoristas podem optar por etanol ou gasolina na hora de encher o tanque dos seus veículos.

No mercado desde 2003, os carros flex chegaram para trazer facilidade e economia, mas também vieram acompanhados de muita desconfiança: assim que foram lançadas, essas opções eram relativamente mais caras e tinham alguns problemas — como toda nova tecnologia, não é mesmo?

Muitos anos se passaram e, hoje, os carros flex garantem uma série de benefícios aos seus proprietários, inclusive em relação ao preço.

Mas, afinal, como esse sistema funciona? Quando escolher etanol ou gasolina? Existe uma forma confiável de calcular o consumo de cada combustível? Leia este texto até o fim para esclarecer as dúvidas mais comuns sobre o assunto.

Como funciona um carro flex?

Existem alguns mitos relacionados aos carros bicombustível, como o consumo e o próprio desempenho do motor. Mas antes de explicarmos um pouco melhor sobre isso, vamos a uma pequena aula de química para saber como cada combustível age.

A gasolina, que ainda é o combustível mais popular mundialmente, é derivada do petróleo e é constituída de hidrocarbonetos, que evaporam a diferentes temperaturas, de uma forma mais lenta.

O etanol, derivado da cana-de-açúcar, é composto de apenas um hidrocarboneto e evapora de uma única vez. Vale lembrar que por se originado da cana, ele é mais ecológico no sentido de capturar mais CO2 na plantação, mas, durante a sua queima, ele polui como a gasolina.

Mas e o sistema do carro flex, como funciona com esses dois combustíveis diferentes? Simples: no escapamento, existe um componente, a sonda lambda, que é responsável por identificar qual combustível está sendo utilizado e informar à central eletrônica do veículo.

A partir daí, essa central ajusta o motor para que ele possa ter o desempenho ideal, de acordo com o combustível que está no tanque — ou a mistura dos dois.

É possível optar por etanol ou gasolina a qualquer momento?

Uma das grandes dúvidas que ainda circulam no universo dos carros flex é justamente em relação à quantidade de cada combustível que pode existir no motor.

Vale lembrar que a sonda lambda pode detectar a diferença de oxigênio dos dois combustíveis sem problemas, passando para a central eletrônica qual é a proporção exata de cada um deles no tanque. Isso significa que, para o motor e o sistema do carro, a quantidade de cada combustível presente não faz diferença.

O motor pode passar meses queimando gasolina pura, bem como etanol puro, ou a mistura dos dois.

Então, os fatores que devem ser levados em consideração no momento da escolha do motorista são a potência, a autonomia e, claro, a economia.

Em relação a esse custo-benefício, uma teoria bastante conhecida diz respeito à diferença de 70%. De acordo com ela, um carro que foi abastecido com etanol vai andar 30% a menos do que se estivesse com gasolina em seu tanque. Isso significa que optar pelo etanol só é vantajoso quando o seu preço for 70% menor do que o preço da gasolina.

Mas essa não deve ser a única variável considerada na hora de optar por etanol ou gasolina. Afinal, dependendo de onde o carro circula, em quais condições e o que é esperado dele, a autonomia e a potência também vão fazer diferença — tanto na dirigibilidade quanto no bolso.

Características da gasolina

Para o motorista que busca por autonomia, a gasolina costuma ser sempre a melhor opção, ainda que esteja mais cara na bomba. Isso porque o combustível permite que o carro percorra longas distâncias sem ter que parar para abastecer tantas vezes.

Ecologicamente falando, a gasolina é uma opção pior, pois é derivada do petróleo — um combustível fóssil altamente poluente e finito.

Já sobre o peso no bolso, trata-se de um combustível que constantemente desagrada o consumidor, já que é comum encontrarmos um preço mais alto toda vez que chegamos ao posto.

Características do etanol

O etanol por sua vez garante mais desempenho e potência ao motor, mas consome mais, o que significa que o motorista vai ter que fazer mais paradas para abastecer.

Em relação aos cuidados com o carro, essa é uma opção mais consciente, porque o seu percentual de carbono é de apenas 1/3 do da gasolina, o que gera uma combustão que não deixa depósitos carboníferos no motor.

Por fim, o meio ambiente também é favorecido com a escolha do etanol, já que ele emite menos poluentes e é derivado de uma fonte renovável.

Como calcular o consumo do etanol ou gasolina?

Você conheceu as vantagens de abastecer com cada tipo de combustível, mas a economia ainda é um fator importante? Então, acompanhe como fazer o cálculo correto do consumo do seu carro, a fim de encontrar a opção mais vantajosa para o seu carro.

Considerando a teoria que descrevemos acima, que o etanol deve custar 70% do valor da gasolina para que o abastecimento valha a pena financeiramente, faça o seguinte cálculo quando estiver diante da bomba:

  1. veja o preço da gasolina e multiplique-o por 0,7. Esse resultado corresponde ao valor de 70%;
  2. confira se o valor do etanol é menor do que o número que encontrou, ou seja, esses 70%. Se sim, a economia vai valer a pena.

Existe outra conta simples e rápida:

  1. divida o preço do etanol pelo da gasolina;
  2. se o resultado for menor do que 0,7, optar pelo etanol é melhor, financeiramente falando.

Como você pôde ver, optar por etanol ou gasolina, hoje em dia, não faz diferença para o carro flex, que consegue reconhecer e se adaptar ao combustível que está no tanque — e também à mistura dos dois, independentemente da proporção de cada um. O que você espera do seu carro, bem como o quanto está disposto a pagar e parar para abastecer também são fatores que devem ser considerados.

Esperamos que este conteúdo tenha esclarecido as suas dúvidas sobre o tema. Agora, queremos saber de você: qual é o seu combustível preferido e por quê? Divida a sua experiência com a gente nos comentários!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Share This